segunda-feira , 1 de junho de 2020
Promoções
Início / Rádio/Destaque / AMNAP: Prefeitos pedem ao Governador de SP abertura do comércio

AMNAP: Prefeitos pedem ao Governador de SP abertura do comércio

 O prefeito Caio Aoqui e prefeitos da região que fazem parte da AMNAP (Associação dos Municípios da Nova Alta Paulista), estiveram reunidos na tarde desta sexta-feira (27), em Tupã, para discutir o impacto do Coronavíros.

Durante o encontro também foi discutida a possibilidade de novas medidas e ações isoladas ou conjuntas para minimizar os efeitos da pandemia em todos os setores da comunidade sem comprometer o bem estar da população.

Ao final da reunião que contou com 12 prefeitos, foi elaborado um documento que será enviado ao governador de São Paulo, João Doria.

Entre as reivindicações, os prefeitos pedem em nome das Associações Comerciais a flexibilização ou abertura dos estabelecimentos comerciais.

Participaram da reunião o presidente da AMNAP, Edmar Mazucato, prefeito de Osvaldo Cruz, além dos prefeitos de Iacri, Carlos Freire; de Rinópolis, José Ferreira de Oliveira Neto; de Parapuã, Gilmar Martim Martins; de Mariápolis, Valdir Dantas de Figueiredo; de Adamantina, Márcio Cardim e de Bastos, Manoel Rosa.

O encontro contou ainda com a participação dos prefeitos de Sagres, Ricardo Rived Garcia; de Arco-Íris, Ana Zoner Leal Serafim; de Flórida Paulista, Wilson Froion e de Pracinha, Maurilei da Silva.

Durante a reunião os prefeitos falaram sobre as dificuldades enfrentadas em virtude das medidas necessárias de enfrentamento ao coronavírus, sobretudo com relação ao comércio. Por unanimidade os prefeitos aprovaram a elaboração de manifesto que será encaminhado ao governador João Dória.

O documento aponta inicialmente a necessidade de flexibilização ou abertura dos estabelecimentos comerciais, que estão fechados até o próximo dia 7 de abril pelo decreto estadual 64.881/2020 .

Os prefeitos alertam também que os municípios que não estão recebendo nenhum recurso adicional para adquirir Equipamentos de Proteção Individual (EPI) necessários para o enfrentamento da crise com o coronavírus, reivindicando o envio imediato de luvas, álcool em gel e outros produtos que se fazem necessários.

No manifesto os prefeitos também reforçaram a indignação com a diferença entre os recursos fornecidos pelo governo estadual à capital paulista e aos municípios do interior. Os prefeitos questionam a razão da diferença, já que são destinados R$ 12 por habitante da capital e apenas R$ 4 por habitante do interior.

Os prefeitos apresentaram ainda série de reivindicações para intensificar as ações preventivas contra a doença. Os chefes do Executivo solicitam o fornecimento de no mínimo 50 respiradores para atendimento dos municípios da Alta Paulista, além da instalação de 50 leitos adicionais de UTI completos.

Os prefeitos reivindicaram ainda que se providencie atos jurídicos necessários à prorrogação do pagamento de precatórios por um ano e entendimento com as autoridades federais para a prorrogação dos prazos eleitorais.

 

As reivindicações incluem ainda a instalação na região da Alta Paulista de um hospital de campanha para atendimento das vítimas do coronavírus e o fornecimento de cestas básicas sociais que incluam material de higiene adequado e em número suficiente para o atendimento das necessidades da população, ou ainda o repasse de recursos equivalentes para providenciar ajuda assistencial às famílias em situação de penúria.

O prefeito Caio Aoqui avaliou positivamente a reunião e destacou a importância da união dos prefeitos da região para que as necessidades comuns da população sejam atendidas. “Gostaria de agradecer a participação de todos os prefeitos que vieram para Tupã discutir alternativas de buscar mais apoio para as ações de enfrentamento do coronavírus. É muito importante essa união de forças para sensibilizar o governo estadual das dificuldades que os municípios estão enfrentando. Estamos pedindo maior flexibilização ou autorização para a abertura do comércio, além de maior respaldo tanto em termos de materiais de proteção e equipamentos médicos quanto em recursos para que possamos amparar e garantir a dignidade da população”, avaliou Caio.

 

Fonte: Prefeitura de Tupã

Verifique também

Meu primeiro gravador (Por Mário Motta)

Iniciei nas comunicações na Rádio Piratininga da cidade de Tupã, centro oeste paulista em meados …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *